English


Museu Colecção Bordado barro Loja Acontece
  História Processo Potes de Roça Vídeo
logo

O processo de fabrico


 
Extracção A Pasta Modelagem Decoração Cozedura

A preparação da Pasta
Para fabricar a pasta que dá corpo às peças, e de forma a dar plasticidade ao Barro Branco, demasiado resistente para ser trabalhado isoladamente, utilizam-se duas partes deste para uma de Barro Preto, bastante mais maleável, e logo facilitador do trabalho do oleiro ao puxar o barro na roda. 

No início de todo o processo estes barros são postos a derregar, ou demolhar, num barreiro (pequeno tanque existente na oficina do oleiro) por forma a que se desagreguem e possam posteriormente ser misturados com mais água (em quantidade equivalente à do barro), obtendo-se assim uma pasta semilíquida.

De seguida, passa-se esta pasta para um outro barreiro, através de um crivo de arame que lhe retira as impurezas, permanecendo aí durante pelo menos três dias, tempo durante o qual se vai retirando a água que vem à superfície, com os detritos do barro em suspensão. Depois, amassa-se bem a pasta e deixa-se no mesmo barreiro a secar durante pelo menos mais três dias, conforme a temperatura ambiente, a fim de enxugar. 


Perdida a humidade em excesso, o barro é então aventado aos bocados, a que se chama bonecos, contra uma parede de tijolo coberta de cimento (o tipo de parede preferida nas olarias, por absorver mais rapidamente a humidade) e deixa-se estar ali colado até se dar sezão do mesmo, ou seja, até o barro perder suficiente humidade para cair nas tábuas que o oleiro colocou sobre os barreiros. 


Estando então pronta a trabalhar, a pasta é transferida para a atoquina, mesa na qual vai ser bem sovada (amassada) pelas mãos do oleiro e reduzida a pélas, que são pequenos pedaços cilíndricos que correspondem à porção de pasta suficiente para cada peça.

 



  Aspecto da pasta utilizada na confecção das peças, composta por uma mistura de barro branco e barro preto.

  Barreiro, ou tanque, onde o oleiro coloca o barro a demolhar e posteriormente a secar, ou enxugar, por forma a perder a humidade em excesso.

  O oleiro atira pedaços de barro, ou pélas, contra a parede da olaria, onde as mesmas ficam coladas, até perderem a humidade suficiente para cairem sobre o barreiro.

  O barro é bem amassado sobre a atoquina, antes de ser moldado.
 

© 2009 Câmara Municipal de Nisa